sábado, 31 de dezembro de 2011

Tremor na Argentina, com probabilidade de ser sentido em São Paulo.

5.3 Mb - SALTA, ARGENTINA

fonte:USGS
Magnitude 5.3 Mb
Date-Time
  • 31 Dec 2011 16:15:10 UTC
  • 31 Dec 2011 13:15:10 near epicenter
  • 31 Dec 2011 16:15:10 standard time in your timezone
Location 23.271S 64.272W
Depth 22 km
Distances
  • 185 km (115 miles) ENE (58 degrees) of San Salvador de Jujuy, Argentina
  • 198 km (123 miles) SSE (166 degrees) of Tarija, Bolivia
  • 206 km (128 miles) NE (36 degrees) of Salta, Argentina

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Terremoto que arrasou Japão em março foi sentido por satélites na órbita terrestre

Por Guilherme Abati
O terremoto que matou milhares de japoneses em março dessa ano não gerou destruição apenas no Japão. Satélites que orbitavam o planeta também foram afetados pela força destruidora do terremoto.
A força dele foi tanta que o choque foi sentido por dois satélites, os quais tiveram suas trajetórias e sensores alterados. A informação somente foi divulgada agora, quase nove meses depois da ocorrência da tragédia.
Satélites também sofreram com o terremoto em março (Dvice)
Os dois satélites mensuravam o campo magnético terrestre e faziam parte do projeto chamado GRACE (Gravity Recovery and Climate Experiment), cujos responsáveis são os Estados Unidos e a Alemanha. O terremoto fez com que as leituras dos satélites fossem completamente alteradas, prejudicando o trabalho, segundo o Dvice.
De acordo com o New Scientist, a NASA e a DLR, agência espacial alemã, acreditam que o incidente pode ajudar os cientistas a medir de forma mais apurada a magnitude de terremotos.

Hotel é evacuado após grupo sentir tremor em evento escolar

Hotel é evacuado após grupo sentir tremor em evento escolar
EPTV

O Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UNB) informou que não registrou nenhuma ocorrência de tremor de terra no Sul de Minas. Na hora do incidente, acontecia no hotel uma festa de encerramento de ano letivo do ensino infantil e ...



Não existe registro desse provável tremor.

domingo, 11 de dezembro de 2011

6.7 Guerrero Mexico - 166 km da cidade do México.

Earthquake Location


Bem Sentido na Cidade do México devido está sobre uma grande bacia - "Pântano" - deixando a cidade mais frágil a terremotos distantes.

Magnitude6.5
Dia-Tempo
  • Domingo, 11 de Dezembro de 2011 às 01:47:26 UTC
Localização18.038°N, 99.796°W
Profundidade64.9 km 
RegiãoGUERRERO, MEXICO
Distancias42 km SW de Iguala, Guerrero, Mexico
56 km ESE de Arcelia, Guerrero, Mexico
166 km SSW da Cidade do MEXICO, D.F., Mexico
Incerteza da Localizaçãohorizontal +/- 14.5 km; profundidade +/- 9.8 km
ParâmetrosNST=488, Nph=488, Dmin=140.3 km, Rmss=0.78 sec, Gp= 43°,
M-type=regional moment magnitude (Mw), Version=8
Fonte
  • Magnitude: USGS NEIC (WDCS-D)
    Localização: USGS NEIC (WDCS-D)

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Sapos conseguem prever tremores de terra com dias de antecedência



Helena Geraldes do Ecosfera    
Clique  para fonte original
A debandada geral de uma colónia de sapos num lago em L'Aquila, Itália, dias antes de um sismo em 2009 surpreendeu uma equipa de investigadores. Depois de anos de estudo concluíram que estes anfíbios conseguem prever os tremores de terra com vários dias de antecedência.

A bióloga da Universidade Aberta do Reino Unido, Rachel Grant, monitorizava uma colónia de sapos-comuns (Bufo bufo) num lago em L’Aquila, Itália, quando tudo aconteceu. “Foi dramático. Em apenas três dias, a colónia passou de 96 sapos para zero”, disse a investigadora à BBC, que publicou os seus dados na revista Journal of Zoology.





O estudo revela que os sapos “mostraram um comportamento muito pouco habitual antes do sismo de magnitude 6.3 na escala de Richter em L’Aquila, em Itália, a 6 de Abril de 2009”. “Dias antes do sismo, os sapos desapareceram subitamente dos seus locais de reprodução num pequeno lago a 75 quilômetros do epicentro e só regressaram depois de uma série de réplicas”, acrescenta o estudo.

Pouco tempo depois, Rachel Grant foi contactada pela NASA (agência espacial norte-americana), que estudava as alterações químicas que ocorrem quando as rochas estão sob stress extremo.

Com base em testes em laboratório, a equipa de sete investigadores coordenada pelo geofísico Friedemann Freund, da NASA, concluiu que os animais detectam as alterações químicas na água subterrânea, causadas pela libertação de partículas através das rochas na crosta terrestre que estão em tensão, devido às forças tectônicas antes de um sismo. Esta cadeia química pode afetar o material orgânico dissolvido nas águas de um lago, transformando materiais inofensivos em substâncias que são tóxicas para os animais aquáticos.

Segundo a equipa de investigação, que publicou as suas conclusões na revista Journal of Environmental Research and Public Health, os animais que vivem nessas águas ou perto delas são extremamente sensíveis às mudanças na sua composição química.

Os investigadores acreditam que biólogos e geólogos podem trabalhar em conjunto para preparar melhor a chegada de um sismo. Freund diz que o comportamento destes animais pode ser apenas um de uma cadeia de eventos que podem prever um sismo. “Quando compreendermos de que forma estes sinais estão ligados e se virmos quatro ou cinco a apontar na mesma direcção, então podemos dizer que algo está para acontecer.”

Seismic Monitor - IRIS

Analytics com meu código